Domingo, 13 de Novembro de 2011
Corrupção na justiça


Free counter and web stats

publicado por seajusticanaofossecorrupta às 03:56
link do post | comentar | favorito

4 comentários:
De Manuel Pinto Ferreira a 13 de Novembro de 2011 às 04:02
Por MANUEL PINTO FERREIRA ter denunciado publicamente na sua viatura que os JUÍZES: MARIA DA CONCEIÇÃO CORREIA DA CRUZ BUCHO e ANA RUTE ALVES DA COSTA PEREIRA no Proc° 335/A799 do 2° juízo do Tribunal do Marco Canaveses BURLARAM CREDORES da Firma Vimarix. O Procurador José Carlos SERRÃO TEIXEIRA e o Juiz Augusto GOMES DA SILVA no proc° 1134/06.3GBAMT do 1° Juízo do Tribunal de Amarante mandaram a GNR ROUBAR-LHE esta viatura, em vez de investigarem os factos e devolverem os BENS USURPADOS (ROUBADOS). A justiça precisa de ser questionada e de um abanam


De Manuel Pinto Ferreira a 1 de Janeiro de 2012 às 11:45
MANUEL PINTO FERREIRA denunciou publicamente na sua viatura que os JUÍZES: MARIA DA CONCEIÇÃO CORREIA DA CRUZ BUCHO e ANA RUTE ALVES DA COSTA PEREIRA no Proc° 335/A799 do 2° juízo do Tribunal do Marco Canaveses BURLARAM CREDORES da Firma Vimarix: José Carlos Nogueira, Avelino Vieira Rodrigues; António Monteiro Vieira e esposa Maria Emília Silva Castro; E Manuel Pinto Ferreira. Depois o Procurador José Carlos SERRÃO TEIXEIRA do Tribunal de Amarante em vez de investigar os factos e devolver os BENS USURPADOS mandou em 17 de Outubro de 2007 a GNR apreender a minha viatura nova com 20.000 km para me obrigar a estar calado com os crimes que as colegas praticaram. De seguida, o Juiz Augusto GOMES DA SILVA em vez de me mandar devolver a carrinha como devia manteve ilegalmente a apreensão no Proc 1134/06.3GBMT do 1° juízo do Tribunal de Amarante. Como Manuel Pinto Ferreira FOI ROUBADO e não se cala, em Setembro de 2011 venderam-lhe a carrinha por 3.000 € mas não lhe entregaram o dinheiro do veiculo.
Quem perceber que diga se isto é corrupção ou vigarice ? Ou se é as duas coisas.


De Manuel Pinto Ferreira a 1 de Janeiro de 2012 às 14:23
Agora em Novembro de 2011 venderam a minha carrinha nova com 20.000 km por 3.000 € mas não me entregaram o dinheiro. Tudo isto será corrupção, vigarice ou as duas coisas ?


De Manuel Pinto Ferreira a 11 de Março de 2012 às 15:34
PERSEGUIÇÃO JUDICIAL A MANUEL PINTO FERREIRA, POR TER DENUNCIADO CRIMES QUE PRATICARAM.

CONSTA DO AUTO DE NOTICIA DA GUARDA NACIONAL REPUBLICANA (GNR) de AMARANTE que o PROCURADOR ADJUNTO José Carlos SERRÃO TEIXEIRA advertiu o Autuante dizendo para ter cuidado porque pertencia à POLICIA JUDICIARIA (usurpou funções) mas dizem os magistrados que isso não é crime. Se fosse eu a dizer isso já era crime mas como se tratava dum colega amigo dizem que não é crime.
Ainda segundo o AUTO DE NOTICIA da GNR, o Procurador Adjunto SERRÃO TEIXEIRA advertiu o Autuante que o podia deter e que o Guarda não o podia deter a ele (ameaça). Dizem os magistrados que não foi crime, mas se fosse eu que disses-se isso era, mas como foi o colega e amigo não foi crime.
Consta também do AUTO DE NOTICIA da GNR que o Procurador Adjunto SERRÃO TEIXEIRA deu voz de detenção ao Guarda, nomeadamente disse: VOCÊ ESTÁ DETIDO (abuso de poder). Eu quando estudei na Escola na Escola Pratica de Policia aprendi que um magistrado não podia prender, mas sim que chamava a Policia para o fazer em seu nome. Agora pergunto: Será que existiu abuso de poder, ou os meus professores enganaram os alunos futuros agentes de Policia ?
Certo é que o AUTO DE NOTICIA não foi denuncia caluniosa nem difamação, mas por eu transcrever o que consta do Auto a comunicar os factos ao CONSELHO SUPERIOR DO MINISTÉRIO PUBLICO fui acusado de eu inventar os factos, e que por isso pratiquei um crime de denuncia caluniosa, e vou ser julgado em LISBOA por conveniência de alguém.
Como podem ver pelo AUTO DE NOTICIA, eu não inventei os factos, eles existem só que pretendem abafa-los.
Tanto assim é que quando comuniquei os mesmos factos ao Tribunal de PENAFIEL no Proc° 182/03.0TAMCN a denuncia foi-me logo devolvida juntamente com a copia do AUTO, e nessa altura não foi crime.
Tambem não foi crime quando juntei a copia do AUTO e comuniquei os mesmos factos à PROCURADORIA DISTRITAL DO PORTO que entendeu arquivar a denuncia porque dizem que o que o Procurador fez não é crime.
Em ambos os casos o Dr SERRÃO TEIXEIRA não se sentiu ofendido, nem os magistrados entenderam que era crime os factos que denunciei.
Afinal para os magistrados só é crime quando lhes convém.
Se os factos se não tivessem passado aí sim o AUTO seria denuncia caluniosa, mas os factos aconteceram e o auto nao foi considarado denuncia caluniosa.
AFINAL ONDE ESTÁ O CRIME DE QUE ME ACUSAM ? NÃO EXISTE. O que é preciso é ilibar a todo custo o Serrão Teixeira.


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


posts recentes

JUSTIÇA EM PORTUGAL DESCR...

SE A JUSTIÇA NÃO FOSSE CO...

FASSA-SE JUSTIÇA

FASSA-SE JUSTIÇA

"Funeral de Portugal" lev...

"Funeral de Portugal" lev...

Sérgio Aires: “A pobreza ...

Sérgio Aires: “A pobreza ...

Reviralhos: A Igreja e o ...

Reviralhos: A Igreja e o ...

arquivos

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Novembro 2011